Ministro da Educação anula decisão que retirava exigência de livro escolar sem erro de revisão

O Ministério da Educação decidiu, nesta quarta-feira (9), “tornar sem efeito” as alterações no edital para os livros didáticos que serão entregues em 2020. Publicado no dia 2 de janeiro, o edital abolia a necessidade dos materiais conterem referências bibliográficas. Também foi retirado do documento o item que impedia publicidade e erros de revisão e impressão.

Através de nota, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, afirmou que o MEC “reitera o compromisso com a educação de forma igualitária para toda a população brasileira”.

No documento, Vélez Rodriguez “desmente qualquer informação de que o Governo Bolsonaro e a atual gestão do MEC decidiram retirar trechos que tratavam sobre correção de erros nas publicações, violência contra a mulher, publicidade e quilombolas de forma proposital”.

Ainda segundo Ricardo Vélez Rodríguez, o documento publicado anteriormente foi produzido pela gestão antigo governo e envida ao FNDE em 28 de dezembro de 2018.

Reportagem, João Paulo Machado/Agência Radio

Deixe uma resposta