Perder 13 quilos em 14 dias — é assim a dieta do ovo

Uma dieta que dê resultados rápidos e eficazes — este é o sonho de qualquer pessoa que quer emagrecer. Parece que ela existe — até inventarem outra. Chama-se dieta do ovo e promete ajudar a perder 13 quilos em 14 dias. Como? Diminuindo o teor de hidratos carbono e calorias, mas apostando nas proteínas.

“O objectivo é promover a perda de peso sem sacrificar a proteína necessária para a construção muscular. Como o próprio nome indica, esta dieta dá ênfase ao consumo de ovos como principal fonte proteica”, explica à NiT Bárbara de Almeida Araújo, nutricionista e autora do blogue “Manias de Uma Dietista“.

Uma particularidade desta dieta é que tem mais do que uma versão. Contudo, em qualquer uma delas, pode beber apenas água ou bebidas isentas de calorias.

Afinal, o que é se pode comer nesta dieta?

Os alimentos ricos em hidratos de carbono, como pão, massas e arroz, devem ser retirados da alimentação, bem como a maior parte das frutas.

Deve seguir estas regras ao máximo durante 14 dias, que é a duração total da dieta. Mas atenção: apenas pode fazer três refeições diárias — pequeno-almoço, almoço e jantar.

De acordo com a especialista, em termos de proteínas, é permitido o consumo de ovos, frango, peru e peixe. No grupo das verduras e frutas, pode comer brócolos, espargos, courgette, cogumelos, espinafres e toranja.

Na versão tradicional da dieta, deve começar o dia com ovos e depois introduzir outra fonte de proteína ao almoço e ao jantar. Por exemplo, pode comer dois ovos e uma toranja ou dois ovos com espinafres e cogumelos ao pequeno-almoço. Na refeição seguinte, experimente frango com brócolos e ao jantar, peixe com uma salada verde. Entre as refeições é desaconselhada a ingestão de água.

A dieta é segura?

“Sendo uma dieta bastante restritiva, um dos efeitos secundários mais frequentes é a falta de energia. Desta forma, a prática de exercício físico não é recomendada neste período. A falta de aporte de fibra pode provocar obstipação e algumas pessoas também podem sentir náuseas, flatulência e mau hálito”, diz à NiT Bárbara de Almeida Araújo.

Qualquer pessoa a pode seguir?

A resposta é não. Segundo a nutricionista, além de haver restrição de nutrientes, acontece o mesmo a nível calórico — o número de calorias ingerido é inferior a mil calorias. Por isso, deve ter cuidado. Tome nota disto: dietas com um aporte de calorias inferior a 1200, no caso das mulheres, e 1500, no caso dos homens, não devem ser feitas sem supervisão de um profissional.

“Não é uma dieta sustentável a longo prazo e pode trazer algumas consequências negativas para a saúde pela reduzida ingestão de vitaminas, minerais e fibras. Além disso, a maioria das pessoas que segue esta dieta volta a recuperar o peso assim que voltam a comer de forma normal”, alerta.

Ou seja, será mais eficaz aumentar a atividade física e seguir uma dieta equilibrada que limite a ingestão de açúcar e alimentos processados do que fazer uma dieta demasiado restritiva em que não há uma mudança de hábitos alimentares a longo prazo.

Depois, há outra versão desta dieta, que é menos comum, conhecida como a dieta do ovo extrema. Neste caso, durante 14 dias, os seus seguidores só podem comer ovos cozidos e beber água. Contudo, a especialista não a recomenda por ser nutricionalmente desequilibrada.

Créditos: Andreia Guerreiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *