É FAKE NEWS, matéria que prefeitura de Lagoa do Sítio deixa população da zona rural sem água

Circulou nas redes sociais desta quarta-feira 20/11 o link de uma matéria onde o título era “Prefeitura de Lagoa do Sítio deixa população da zona rural sem água”. É fake news (matéria falsa), o município de Lagoa do Sítio conta com mais de 20 poços artesianos na zona rural em pleno funcionamento.

O Prefeito Antônio Ditoso em sua administração priorizou o abastecimento de água do município, mantendo água encanada em todas as localidades, como também aperfeiçoou as encanações de algumas localidades e perfurou novos poços artesianos para sanar a carência de água na zona rural do município.

                                       

    

Foto do antigo funcionário do SAAE na oficina de conserto de bombas submersas.

Poço perfurado na localidade Sítio Santo Antônio

Poço perfurado na localidade Barriguda

O SAAE (sistema de abastecimento de água e esgoto) de Lagoa do Sítio atua 24 horas por dia recebendo informações e reclamações das localidades, caso haja falta de água por algum motivo.

No último domingo 17/11, o Prefeito Antônio Ditoso acompanhado do secretário de administração geral Isauri Matildes e drª Ana Paula (assessoria jurídica), visitou a assentamento Cajupi onde os assentados solicitaram o apoio da prefeitura para a manutenção de um novo poço que será perfurado no assentamento, haja visto que esse poço não será do município. O Prefeito pensado no bem estar de todos garantiu total apoio e firmou o compromisso de fazer a manutenção do poço sempre que for preciso.

O Poço em destaque na matéria Fake news abastece os “Assentamentos” Bom Princípio, Cajupí, Arizona II, onde ocorreu um problema de esbarreramento dentro do poço, problema esse que depende de uma maquina especial para solucionar o referido problema. Nenhum meio de comunicação entrou em contato com a prefeitura municipal ou foi até a referida localidade apurar os fatos ou sequer deu direito de resposta para o referido órgão público.

Em conversa ao portal Lagoa online o prefeito Antônio Ditoso afirmou que a maquina já foi contratada para fazer o serviço, a demora se deu pela dificuldade de encontrar uma maquina que faça esse tipo se serviço, mais que a comunidade esta sendo abastecida por caminhão pipa, o que foge a realidade da matéria divulgada por “opositores” querendo denegrir a imagem da atual gestão, que, muito tem feito o melhor a qualidade de vida da população de Lagoa do Sítio.

Na última sessão da Câmara o vereador Marcelo Silva em seu discurso lembrou que na gestão do cunhado da vice´-prefeita Vanessa, correntes eram postos em poços das localidades onde o povo não o apoiavam, fato esse que pode ter motivado a publicação da matéria fake news.

UTILIDADE PÚBLICA;

Não caia em Fake News, confira a fonte da matéria, veja se cita quem fez a denuncia, confira se realmente procede a informação antes de compartilhar e se tornar cúmplice de um ato mentiroso.

Iniciativas Jurídicas Brasileiras contra Fake News

A primeira iniciativa brasileira no combate à veiculação e disseminação de notícias
falsas encontrava-se na Lei de Imprensa (Lei n.º 5.250, de 09/02/1967)22, declarada pelo
Supremo Tribunal Federal como não recepcionada pela Constituição de 88, nos termos da
ADPF 130-7/DF, da relatoria do Ministro Carlos Ayres Britto.
Precisamente em seu artigo 16, a referida Lei criminalizava a conduta de “publicar
ou divulgar notícias falsas ou fatos verdadeiros truncados ou deturpados, que provoquem: I –
perturbação da ordem pública ou alarma social; II – desconfiança no sistema bancário ou
abalo de crédito de instituição financeira ou de qualquer empresa, pessoa física ou jurídica; III
– prejuízo ao crédito da União, do Estado, do Distrito Federal ou do Município; IV – sensível
perturbação na cotação das mercadorias e dos títulos imobiliários no mercado financeiro.
Pena: De 1 (um) a 6 (seis) meses de detenção, quando se tratar do autor do escrito ou
transmissão incriminada, e multa de 5 (cinco) a 10 (dez) salários-mínimos da região. (…)”.

Deixe uma resposta