BRASIL: Bandeira tarifária de energia elétrica será amarela em março

REPÓRTER: A Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, informou que a bandeira tarifária das contas de luz será amarela em março. O custo adicional vai ser de dois reais a cada 100 quilowatt-hora consumido. Antes, este valor era de um real e cinquenta centavos.

De acordo com a Aneel, o motivo da mudança é que a previsão das vazões que chegam nos reservatórios das hidrelétricas neste mês ficou abaixo da expectativa anterior, o que levou a indicação de maior geração termelétrica, como medida para preservar os níveis de armazenamento e garantir o atendimento à carga do sistema.

As bandeiras sinalizam, mês a mês, o custo de geração da energia elétrica que vai ser cobrada dos consumidores, dando assim, a oportunidade de adaptar o consumo, se assim desejar. Funciona da seguinte forma: se a bandeira estiver verde, há condições favoráveis de geração de energia e o valor da sua conta vai ter a média que você está acostumado a pagar. Se a bandeira estiver amarela, as condições de produção de energia ficaram um pouco mais caras e o valor da sua conta de energia vai ter acréscimo. É como se fosse um sinal de alerta, para que você fique atento ao seu consumo de energia. E se a bandeira estiver vermelha, a geração de energia ficou mais cara e o valor da sua conta de energia terá acréscimo maior.

O pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz, explica um pouco mais sobre a bandeira tarifária amarela.

TEC./SONORA: Pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz

“É um custo a mais que é embutido na conta de luz para cobrir a geração térmica. Até aumentou, né? A amarela aumentou. Agora, um ponto importante que não é dito é o seguinte: se a bandeira amarela passou de R$ 1,50 para R$ 2,00, o aumento foi de R$ 0,50 em R$2,00, foi 33% de aumento. Parece que é pouquinho. Olha, aumentou de R$ 1,50 para R$ 2,00, por 100 quilowatt-hora…. Não, aumentou R$ 0,50, que foi 33% de aumento que aumentaram a bandeira amarela”.

REPÓRTER: Estas bandeiras tarifárias vêm impressas na conta de luz, e para saber se o valor da sua conta irá mudar, é necessário que você observe todo mês qual a cor da bandeira vigente. Essa medida foi aprovada há dois anos e entrou em vigor em janeiro de 2015.

O especialista em energia elétrica, Renato Queiroz, conta quais são os vilões de consumo e o que deve ser feito para gastar menos.

TEC./SONORA: Pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz

“O chuveiro gasta muito, geladeira gasta muito, ferro elétrico gasta muito, ar condicionado gasta muito… então…qual é a dica? Tentar juntar as roupas e tentar passar de uma vez só. Se você não está vendo TV, desliga. É ter um uso eficiente. Eu não vou deixar ligado! Ou eu tenho uma televisão que desliga sozinha ou eu desligo. O micro-ondas também é um grande consumidor de energia e ele pode pesar muito na conta se eu usar ele, por exemplo, para cozinhar… em vez de só aquecer… o consumo fica alto”.

REPÓRTER: Lembrando que para economizar, basta mudar alguns hábitos, como por exemplo, não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar-condicionado; quanto a geladeira, não deixe a porta aberta mais tempo que o necessário e sempre que puder, verifique se a borracha está em boas condições; prefira sempre a iluminação natural e troque as lâmpadas incandescentes por fluorescentes; se sair, apague a luz; quando for passar roupa, junte-as para passá-las de uma vez só; use o chuveiro elétrico na posição verão ou morno e evite banhos demorados; se você não está vendo TV, desligue-a; e se tiver condições, troque seu eletrodoméstico antigo por um novo selo PROCEL.

No final de cada mês, a ANEEL disponibilizará em seu site o valor da bandeira do mês seguinte. O site é o www.aneel.gov.br. Nesse endereço será possível consultar o calendário anual de divulgação das bandeiras. A bandeira vigente deverá ser informada também no site de todas as distribuidoras, em até dois dias úteis depois da divulgação pela ANEEL. Lembrando que os estados do Amazonas, Amapá e Roraima não estão totalmente incluídos no Sistema Interligado Nacional e, por enquanto, não participam do sistema de bandeiras. No entanto, é importante que os consumidores desses estados também utilizem a energia de forma consciente e assim contribuam para reduzir os custos de geração de energia do sistema.

Reportagem, Cintia Moreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *