Investigações da ‘Chacina de Alagoinha’ estão adiantadas, revela polícia

Seis dias após a execução de três pessoas em Alagoinha do Piauí, a Polícia Civil continua em campo para elucidar o crime. De acordo com o delegado, Aureliano Barcelo, as investigações estão bem adiantadas.

“Será uma questão de tempo para a elucidação desse crime bárbaro, não cessamos nas investigações. Não podemos divulgar mais detalhes para não atrapalhar, mas em breve a imprensa será acionada”, explicou o delegado.

Ainda segundo Aureliano, foi realizada uma investigação de campo, colhendo informações por onde Antônio Sebastião de Sá, conhecido por todos como Antônio Virgílio, havia passado no dia crime.

Antônio Virgílio e Francisca Maria

Antônio Virgílio e Francisca Maria

Antônio Virgílio era um dos acusados de participação no planejamento, sequestro e morte do ex-vereador de São Julião, Emídio Reis, crime ocorrido em janeiro de 2013. A investigação apontou na época que ele teria pedido carona a vítima e no percurso teria rendido o político com apoio de comparsas e levado o ex-vereador para execução.

Relembre a chacina

Por volta das 10h30 do dia 02 de agosto, vizinhos acionaram a polícia após três pessoas serem executadas em uma residência no povoado São João, zona rural de Alagoinha do Piauí.

As vítimas foram identificadas como Antônio Sebastião de Sá, conhecido por todos como Antônio Virgílio; Terezinha Francisca de Sá, mãe de Virgílio; e a empregada doméstica Francisca Maria da Conceição, de 54 anos, que residia em Picos.

Antônio Virgílio e Francisca Maria

Segundo o delegado, dois homens armados entraram na residência pela porta dos fundos. A mãe foi encontrada no quarto com dois tiros. A cuidadora na cozinha com dois tiros e o Virgílio na saída do quarto com cerca de cinco tiros. A arma era uma pistola 380. Acreditamos ainda que uma terceira pessoa deu suporte a dupla”.

Fonte: Picos40Graus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *