SÃO PAULO: Assembleia adia votação de PL que proíbe transporte de animais vivos

Como reação, diversas entidades ligas ao agronegócio se mobilizaram contra ao projeto. A Sociedade Rural Brasileira, em nota oficial divulgada em seu portal, afirmou que a medida está fundamentada em uma ideologia populista, que impõe sérios prejuízos econômicos ao estado. De acordo com dados divulgados na nota da SRB, em 2017 o faturamento com a importação de bovinos passou de US$ 269,5 milhões.

Em 2018, ainda de acordo com a SRB, o faturamento já alcançou US$ 230,8 milhões. Essas decisões, segundo a nota, trazem insegurança jurídica que afeta toda a cadeia produtiva, causando inclusive, preços mais altos ao consumidor.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) também alertou que qualquer medida que afete a cadeia de produção pode trazer prejuízos e danos irreparáveis, como a quebra de produtores de bovinos.

Essa é a segunda vez que uma pauta que interfere na logística dos animais vivos em São Paulo entra em debate. Em abril uma outra lei, a 996/2018, foi sancionada pelo prefeito Alexandre Barbosa (PSDB), que impedia o transporte de cargas vivas nas áreas urbanas, o que impedia a chegada ao porto de Santos. Na época, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, tornou a lei inválida.

Atualmente, o projeto está na Assembleia Legislativa e a data da votação será definida em reunião dos deputados que integram o colégio de líderes.

Reportagem, Raphael Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *