SERVIÇO: Prevenção ao suicídio conta com ligação gratuita em todo país

O suicídio é um assunto que precisa ser conversado seriamente. É um problema real que afeta muitas pessoas e não deve ser escondido. Atualmente a média nacional de suicídio no Brasil, em todas as idades, é a de cinco para cada cem mil habitantes. Isso significa que todos os anos, em média, 11 mil pessoas decidem tirar a própria vida  no Brasil. Em muitos casos, a pessoa que passa por problemas e tem pensamentos extremos que podem levar ao suicídio, pode ser ajudada com uma conversa. E existem pessoas que estão dispostas a ouvir e ajudar, como é o caso da Bárbara Sena, voluntária do Centro de Valorização da Vida (CVV).

“Eu sugiro para essa pessoa que está ouvindo, que está vivendo uma situação difícil, que busque ajuda. Sempre existe uma solução. Por mais que você esteja desesperado”.

Na tentativa de ajudar mais pessoas, a partir deste mês, as ligações para o 188, telefone do CVV, passam a ser gratuitas em todos os estados e no Distrito Federal. Pelo número, as pessoas recebem apoio em momentos de crise, como explica o coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro.

 “O CVV tem uma experiência grande no acolhimento de pessoas que apresentam transtornos mentais graves e pessoas que se encontram em situação de sofrimento, acolhendo essas pessoas e proporcionando a elas um local onde elas podem ser ouvidas, onde elas podem desabafar, onde elas podem conversar sobre os seus problemas, o que sem dúvida alguma favorece a melhora e o aumento do bem-estar dessas pessoas”.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma associação civil sem fins lucrativos que há 55 anos atua na prevenção ao suicídio. Atualmente o CVV conta com 2.400 voluntários e além do número de telefone 188, é possível entrar em contato com o CVV por e-mail, chat, Skype ou pelo endereço eletrônico www.cvv.org.br. Mas se você perceber que alguém precisa de ajuda, não espere, saiba que uma vida pode ser salva com apenas uma conversa.

Reportagem, Janary Damacena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *