SEU DINHEIRO: Especialistas explicam Tesouro Direto para quem quer começar a investir

REPÓRTER: Você já parou para pensar em como o governo financia os gastos com saúde, educação e infraestrutura? É que só a arrecadação de impostos não é suficiente para que o governo ganhe o dinheiro necessário  para cobrir a dívida pública. Nesses casos, você pode ajudar comprando um título público. Ou seja: você empresta o seu dinheiro para o governo e, em troca, vai receber lá no futuro o que você emprestou mais os juros sobre esse empréstimo. Esse é o chamado Tesouro Direto, como explica o doutor em Educação Financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos.

 

SONORA: Reinaldo Domingos, doutor em Educação Financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros

 “O Tesouro Direto nada mais é do que um tipo de investimento. Muito usado hoje, no Brasil, muito mais do que a caderneta de poupança, em percentuais. E também pagando muito melhor do que a caderneta de poupança. Às vezes até o dobro da própria caderneta, dependendo do título público que o governo está emitindo”.

 

REPÓRTER: Investir no Tesouro Direto não é um bicho de sete cabeças. O doutor em educação financeira, Reinaldo Domingos, explica que existem duas formas de aplicação no tesouro: as aplicações pré-fixas e as pós-fixadas.

 

SONORA: Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros

“O pré-fixado eu determino que vou receber 12 por cento ao ano com esse título que estou  comprando hoje. Então daqui, vamos supor, cinco anos, eu ganhei cinco por cento todos os anos. E vou resgatar o valor principal mais a correção desses 12 por cento ao ano e isso vai me dar o retorno do meu capital. O pós-fixado é um valor fixado mínimo de 6 ou 6,5 por cento, mais os juros que podem ser Selic ou outros tipos de correção que geralmente são pela inflação. E se a inflação aumenta, o meu dinheiro também vai ganhar mais. Se essa inflação baixar, diminuir, o meu dinheiro vai ser menor e a minha rentabilidade também.”

 

REPÓRTER: O importante, mesmo, é lembrar que seu dinheiro pode trabalhar a seu favor. Deixá-lo parado na conta, ou guardado em casa, vai fazer com que ele perca o valor que poderia estar rendendo em algum investimento. O planejador financeiro da empresa Economia Comportamental, Rogério Nakata, lembra que metas bem definidas são essenciais para um investimento de sucesso.

 

SONORA: Rogério Nakata, planejador financeiro da Economia Comportamental

“Uma das premissas para que as pessoas possam fazer investimentos e transformar um investimento em uma conta para pagar – que é uma das coisas mais importantes que ela deve fazer e que a gente chama de ‘carimbar’ o dinheiro dela para os investimentos – é definir objetivos. O que ela quer fazer com esse dinheiro? Porque o que acontece, que a gente percebe em muitas famílias é que elas, por não terem um objetivo muito bem definido, elas vão juntando e acumulando uma quantidade de recursos e, quando surge qualquer oportunidade, entre aspas, aquilo acaba desviando ela do que poderia ser o foco, se ela tivesse algum objetivo bem claro”.

 

REPÓRTER: E o mais interessante, é que você não precisa de muito dinheiro para começar a investir no Tesouro. Com apenas 30 reais, você já pode começar suas aplicações nos títulos do Governo. Para isso, você precisa encontrar uma corretora de valores e conversar com ela sobre o seu perfil de investidor. É o que recomenda o doutor em Educação Financeira, Reinaldo Domingos.

 

SONORA: Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros

“Nada melhor do que você ter uma boa corretora de valores para te auxiliar na hora dessa compra para saber qual é o seu perfil. É um perfil conservador ou é um perfil arrojado? Se for um perfil conservador, vá para a pré-fixada e tenha certeza que você vai recuperar o seu dinheiro lá na frente, na data marcada e seu sonho vai ser realizado”.  

 

REPÓRTER: Para saber mais, você pode acessar o site: tesouro.fazenda.gov.br/. Lá, na aba do Tesouro Direto, você encontra uma lista com todos os bancos e corretoras de valores habilitados a operar com o Tesouro. Além disso, essas instituições financeiras podem te ajudar em cada etapa da preparação para se tornar um investidor e podem te aconselhar em caso de dúvida.

00dinheiro1

 

Reportagem, Bruna Goularte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *