TECNOLOGIA: Justiça gaúcha autoriza uso do aplicativo whatsapp em todo o estado

Agilidade, economia e eficiência. Essas são algumas das vantagens que o uso do WhatsApp apresenta como ferramenta de apoio aos procedimentos do Poder Judiciário. O projeto-piloto, que já vem sendo realizado em duas unidades judiciárias, agora será expandido pela Corregedoria-Geral da Justiça, que regulamentou o uso do aplicativo como forma de comunicação oficial a advogados e partes. A Corregedora-Geral da Justiça, desembargadora Denise Oliveira Cezar, autorizou o uso imediato do WhatsApp em Comarcas com Vara única, que utilizarão o aparelho celular do plantão, durante o horário de expediente. Nas Comarcas com mais de uma Vara, o Juiz interessado deverá solicitar à Direção do Foro. O uso do aparelho celular é destinado exclusivamente para a realização de intimações e comunicações processuais. De acordo com o Juiz-Corregedor André Luiz de Aguiar , que coordena o projeto na CGJ, ainda haverá a aquisição de aparelhos celulares, pois já foi encaminhada pela CGJ solicitação de serviço de linha de telefonia móvel, uma por unidade, incluindo-se CEJUSCs, excluindo-se apenas as Direções do Foro, unidades com competência exclusiva em Fazenda Pública e Execução Criminal. Ainda, segundo o magistrado André Luiz, a nova sistemática garante resposta imediata quanto ao recebimento da intimação, o que não acontece com as cartas, que muitas vezes demoram mais de um mês para o retorno. Também chama atenção a efetividade das intimações ou notificações realizadas, as quais chegaram a atingir 100%, ressaltou o juiz.

Com informações do CNJ, reportagem, Storni Jr.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *