Governador vai a ato pró-Lula na praça e diz: “estão rasgando a Constituição”

O governador Wellington Dias (PT) participou na tarde desta segunda-feira (22) de ato em defesa do ex-presidente Lula na praça da Liberdade, Centro de Teresina. Em seu discurso, Dias afirmou que a judiciário faz um “julgamento político” e que “estão rasgando a Constituição Federal”. O ato contou com presença de petistas, militantes e simpatizantes pró-Lula.

Na manifestação, Wellington Dias reafirmou que irá acompanhar o julgamento ao lado do ex-presidente durante ato programado para a próxima quarta-feira (24) em São Paulo, na companhia de outros governadores.  Em relação ao julgamento que Lula será submetido, Wellington Dias acredita que fazem um “julgamento político” e afirma que o objetivo é  condenar o ex-presidente sem provas.

“Como é que vão condená-lo dessa forma. Além disso o processo aberto lá em Curitiba foi sobre a Petrobras. A Polícia já disse que não há qualquer pessoa do presidente Lula nem da sua família nesse caso em relação a Petrobras. Porquê então que esse foro que é sobre um processo da Petrobras ainda mantém o nome do Lula? A pergunta que se faz é: É um julgamento com base na lei, ou é um julgamento político? Ainda mais agora que o presidente pediu para comparecer para ele próprio se defender e aí foi negado. Então fica cada vez mais latente para o povo que se tenta tirar o direito que é do povo a partir de artifício judicial de uma condenação sem provas para impedir que ele possa ser candidato à presidência”, defende o governador.

Wellington Dias embarca nesta terça-feira (23) para Porto Alegre onde cumpre duas agendas, uma do Fórum Social Mundial e um ato com  líderes do Brasil e do mundo em defesa da democracia. Já na quarta-feira o governador cumpre agenda em reunião sobre a Transnordestina e em seguida segue para o ato pró-Lula.

Na oportunidade, Wellington Dias lembrou que o STF desde o ano de 2016 não coloca em pauta de julgamento o processo de defesa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). “Eu mesmo respondo: porque não há nenhum crime praticado por essa mulher. Veja só a decisão que tomaram seria dos crimes mais graves na admisnitração pública, o de responsabilidade, porém  confessam que não houve crime quando dizem ‘mas ela permanece com os seus direitos políticos’, ‘ela pode exercer cargo público’, ‘pode ser candidata’, onde está escrito essa lei? Que alguém pode ser condenado e isso pode acontecer? Em lugar nenhum. A Dilma foi eleita pelo voto de homens e mulheres desse país”, disse.

“Democracia vai despertar” 

Em seu discurso, Wellington Dias explicou rapidamente o andamento do processo do ex-presidente Lula e da lava Jato. O governador também destacou que Lula representa muito mais que uma “figura humana”, mas na “defesa da democracia”.

“Estão rasgando a Constituição. É só observar desde as eleições de 2012, o que nós queremos é defender ela (Constituição Federal). Fizeram uma mudança na regra para qualquer pessoa que fosse julgada na 2ª instância já fosse condenada, que não poderia mais ser candidato. Qual lei que diz isso? Nenhuma. A lei maior, que é a Constituição de 1988, tem em um dos seus artigos que ninguém poderá ser condenado sem o transito e julgado enquanto não passar por todas as instâncias. Mudaram isso para fazer acontecer o próximo cenário com data marcada para o dia 24”.

“A oposição sabe que não tem ninguém capaz de vencer no voto a vontade do povo brasileiro, não é que ninguém é melhor do que ninguém, mas basta observador o que era o Piauí de antes e o Piauí de agora, o Brasil de antes e o Brasil de hoje, foram milhões de pessoas que saíram da fome, que tiveram a sua casa própria e puderam entrar na universidade. O que mais levou o país para frente foi o Luís Inácio lula da Silva, eleito duas vezes pelo povo brasileiro, e em seguida foi Dilma Rousseff”, disse o gestor.

“Eles querem fazer um falso julgamento para ‘ganhar no tapetão, mas no tapetão não vão ganhar’. Aqui não é o final da luta, aqui é apenas mais um passo e nós vamos estar juntos e conscientes que a democracia vai despertar”, finalizou o governador.

Matéria Original

Manifestantes participam neste momento de um ato de apoio ao ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva que será julgado nesta quarta-feira (24) no caso Lava-Jato. Para os manifestantes, o julgamento questão política com objetivo de que Lula não seja candidato a presidência da república nas eleições deste ano.

Centrais sindicais, representantes de partidos, movimentos sociais como Fetag e MST e estudantes se reúnem na Praça da Liberdade, Centro da capital de onde seguem em passeata pela avenida Frei Serafim.

O vereador Edilberto Borges,  Dudu( PT) ressaltou que o partido não tem um plano B a nível nacional. “O nome de Lula é o indicado para ser o próximo presidente da república pelo partido”, afirmou

Já o deputado estadual Cícero Magalhães declarou  a manifestação  é  uma demonstraão de democracia. “Ela é a favor de um cidadão que querem condenar sem provas Eu quero saber porquÊ eles tem tanto medo do Lula ser eleito”, comentou o deputado

Cícero Magalhães acrescenta  que o triplex que está é alvo das discussões neste julgamento estava penhorado para pagar uma dívida da própria construtora OAS e não pertenceria ao ex-presidente.

Fonte: Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *