Em encontro com Bolsonaro, presidente argentino chama Nicolás Maduro de “ditador”

O presidente da Argentina, Maurício Macri, e o presidente Jair Bolsonaro se reuniram nesta quarta-feira (16), no Palácio do Planalto, em Brasília. Depois de um encontro privado, os dois chefes de Estado fizeram um pronunciamento em um dos salões.

Um dos assuntos discutidos pelos dois presidentes foi a crise na Venezuela. Segundo Maurício Macri, a comunidade internacional já constatou que o líder venezuelano é um ditador que quer se perpetuar no poder com eleições fictícias.

“A comunidade internacional já se deu conta. Maduro é um ditador que tenta se perpetuar no poder com eleições fictícias.”

Jair Bolsonaro elogiou os esforços de Macri para reerguer a economia da Argentina e torná-la mais integrada ao mundo e deu mais detalhes do que foi conversado entre eles no encontro bilateral.

“Tratamos de ampla gama de assuntos, como não poderia deixar de ser entre dois países com tantos interesses compartilhados: combate ao crime organizado, Defesa, Ciência e Tecnologia, Energia Nuclear e dinamização do nosso comércio.”

Segundo Bolsonaro, o relacionamento entre Brasil e Argentina seguirá avançando no rumo certo, que é o rumo da democracia, da liberdade, da segurança e do desenvolvimento para os dois países.

“Não há tabus na relação bilateral, o que nos move é a busca de resultados concretos, que contribuam para o desenvolvimento de nossos países e para o bem-estar dos brasileiros e argentinos.”

A Argentina é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil no mundo, depois da China e dos Estados Unidos. Somente no ano passado, este comércio movimentou mais de 26 bilhões de dólares.

Além disso, os dois países são parceiros na diplomacia. Isso porque são sócio-fundadores do Mercosul e também fazem parte do G20, grupo que reúne as vinte maiores economias do mundo. Maurício Macri foi o primeiro chefe de Estado a visitar o Brasil após a posse de Jair Bolsonaro.

Reportagem, Cintia Moreira/Agência Radio

Deixe uma resposta