Previdência do Piauí está comprometida, aponta pesquisa

A situação previdenciária do Piauí não é das mais animadoras. O déficit no setor já ultrapassa 6,5%, de acordo com estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea. Na prática, isso significa que, do dinheiro que o governo tem para investir em outras áreas, essa porcentagem está servindo apenas para pagar aposentadorias e pensões.

Isso, na avaliação do deputado Federal Maia Filho, do PP piauiense, pode inviabilizar o desenvolvimento de setores importantes parta a população, como saúde e educação, por exemplo.

O coordenador de Previdência Social do Ipea, Rogério Nagamine, explica que as aposentadorias são pagas pelos contribuintes que estão na ativa.

“Os benefícios dos aposentados e pensionistas são pagos pela contribuição das pessoas que estão trabalhando. Então tanto pela questão da sustentabilidade, como para evitar custos excessivos para as gerações futuras, é fundamental fazer a reforma da Previdência.”

Um levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo, que analisou os relatórios fiscais dos 26 estados e do Distrito Federal, constatou que o Piauí gasta mais com Previdência do que com educação. Para cada R$100 aplicados no setor estudantil, cerca de R$ 131 são investidos no sistema previdenciário.

Reportagem, Marquezan Araújo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *