Manifestantes fincam cruzes em frente ao Congresso e criticam governo Bolsonaro

Manifestantes fincaram mil cruzes em frente ao Congresso Nacional na manhã deste domingo, 28, em homenagem às vítimas da covid-19 e em protesto contra a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em combate à pandemia do novo coronavírus. O País já registra mais de 57 mil mortes pela doença.

A ação foi organizada pelo coletivo Resistência e Ação, grupo com cerca de 60 integrantes. “São pessoas que não concordam com a ausência de política de valorização da vida, com o descaso do governo”, disse Cleide Martins, uma das organizadoras do ato, ao Broadcast. “Sabemos que muitas das pessoas que estão perdendo as pessoas não podem sequer se despedir.”

Além das cruzes, foram colocadas faixas no local com dizeres contra o presidente. Em uma delas estava escrito “Fora Bolsonaro, Mourão e Centrão”. O ato faz parte do movimento intencional #StopBolsonaro.

O ato contou com a presença de algumas parlamentares. “Foi um ato muito bonito em homenagem às vítimas e ao mesmo tempo pontuado a necessidade de retirar Bolsonaro para que possamos enfrentar essa crise”, disse a deputada federal Érika Kokay (PT-DF). A deputada Benedita da Silva (PT-RJ) e a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, também estiveram presentes

Ato virtual #StopBolsonaroMundial lidera rede social no Brasil

Um ato virtual #StopBolsonaroMundial ocupa o topo dos trendings Brasil no Twitter na manhã deste domingo.

O protesto movimenta a rede social no exterior. O movimento on line é acompanhado por manifestações públicas em vários países, como Portugal e Alemanha.

Em São Paulo, está programado um ato Fora Bolsonaro e Mourão hoje, a partir das 14 horas, no vão do Masp, na Avenida Paulista.

Pró-Bolsonaro

Com faixas pedindo intervenção militar, um pequeno grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro promoveu neste domingo (28) uma manifestação em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília.

Cerca de 100 pessoas se concentraram no Setor Militar Urbano, a 8km da Esplanada dos Ministérios.

No início da manhã, porém, houve um protesto anti-governo, simbólico e silencioso, no gramado da Esplanada com mil cruzes em homenagem aos mortos pelo coronavírus, organizado por um grupo de esquerda chamado Resistência e Ação.

Um dos líderes do movimento a favor de Bolsonaro foi o professor e youtuber Emerson Teixeira, investigado no inquérito do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre atos antidemocráticos, tendo sido alvo de busca e apreensão em operação da Polícia Federal.

Os manifestantes ostentavam faixas defendendo intervenção militar, com “Bolsonaro no poder”, além da criminalização do comunismo e de uma nova Constituição. Além da aglomeração, muitos não usavam máscara de proteção, item obrigatório por meio de decreto no Distrito Federal sobre o combate ao coronavírus.

Com um megafone, Ermerson Teixeira criticou o ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito dos atos antidemocráticos, e pediu a liberação do blogueiro Oswaldo Eustáquio, preso na última semana pela Polícia Federal.

Em seguida, alguns manifestantes seguiram para a Praça dos Três Poderes.

No ato não havia menções ao grupo armado de extrema direita 300 do Brasil, investigado no Supremo. Integrantes do grupo, entre eles a líder Sara Winter, foram presos e liberados recentemente mediante o uso de tornozeleira eletrônica.

Fonte: Cidade Verde

Deixe uma resposta