Marinha realiza inspeção na Barragem de Bocaina

Uma semana antes do início do carnaval, a Marinha fez uma inspeção na Barragem de Bocaina neste sábado (15). Segundo o Capitão dos Portos do Piauí, Comandante Dante Duarte, a visita teve como objetivo realizar ações de fiscalização no trafego aquaviário e faz parte da programação de inspeção naval no estado.

O comandante ressaltou que a fiscalização na Barragem de Bocaina  tem como o objetivo inicial orientar, educar e fiscalizar.

“O objetivo jamais é querer aplicar uma multa. Na verdade a gente fica muito mais satisfeito quando vê que as embarcações estão devidamente cadastradas, e os condutores estão habilitados, e que a gente não detecta mais acidentes ou incidentes de navegarão isso é o que nos deixa bastante satisfeito e esse é o nosso retorno, mas se os condutores tentam burlam as normas e o regulamento infelizmente a gente tem que aplicar o rigor da lei”, frisou.

Durante a visita os peritos deram continuidade ao inquérito que investiga um acidente ocorrido no dia 18 de outubro do ano passado, quando os jovens Alan Bruno Silva Sousa e Thallia Bezerra sofreram um acidente na barragem. Segundo perícia preliminar, as vítimas estavam em boias, sendo puxadas por uma moto aquática, quando o cabo rompeu e lançou os dois contra uma lancha parada.

Marinha abriu um inquérito administrativo e inicialmente tinha um prazo de 90 dias para concluir as investigações e esse prazo foi prorrogado por mais 90 dias para realizar novas oitivas para a concussão do inquérito.

“Até aqui foi constatado que o condutor na ocasião ele não era habilitado e que a embarcação apesar de estar regularmente inscrita na Capitania, ela não consta como e propriedade do mesmo condutor, ele provavelmente comprou de outra pessoa e pelas normas o vendedor deveria notificar a Capitania que fez a venda, ou seja, o proprietário é corresponsável pelo ocorrido”, disse.

“A gente também verificou que as condições climáticas no dia do acidente não foram determinantes para o acidente. Ressalto que o nosso inquérito tem caráter administrativo, o objetivo é observar as causas e as responsabilidades do acidente para que possamos tomar ações que visem mitigar outros acidentes como esse, nosso inquérito pode ser utilizado em uma ação em paralelo na justiça comum.

Após a conclusão do inquérito que ainda não acabou a gente determina quais foram as causas determinantes e é enviado ao Tribunal Marítimo que a instituição responsável por aplicar as sanções necessárias”, explicou o Comandante Dante Duarte.

O Capitão dos Portos do Piauí pediu o apoio da população no trabalho de fiscalização da Marinha.

“A gente exorta a população a nos ajudar nesse esforço de fiscalização sempre nos informando caso observem algum fato que possa trazer perigo a vida humana ou a segurança da navegação, desde já o nosso muito obrigado”, finalizou.

Inspeção na Barragem do Jenipapo em São João do Piauí

Neste domingo, 16, a Capitania dos Portos realizou uma fiscalização Barragem do Jenipapo, no municipio de São João do Piauí. No local, no dia 17 de novembro a jovem Alexandra Rodrigues de Novais, 16 anos, fazia um passeio com os pais em uma embarcação improvisada que acabou virando e a jovem acabou morrendo afogada.

A Marinha instaurou inquérito administrativo para investigar o caso e concluiu que o condutor, que não era habilitado e não estava portando colete salva-vidas, foi indiciado como responsável direto pelo acidente.

Fonte: Canabaranews

Deixe uma resposta