POLÍTICA: Presidente da CCJ veta ida de Janot à audiência na Câmara

LOC.: Não será dessa vez que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, irá reforçar pessoalmente a denúncia contra  Michel Temer na Câmara dos Deputados. No início da noite dessa quinta-feira, o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), indeferiu todos os requerimentos de participação de Janot em audiência na Casa. Também foram rejeitados pedidos semelhantes de audiências com outros políticos diretamente ligados a Temer, como o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o secretário-geral da Presidência, Moreira Franco. O ex-assessor especial do presidente, Rodrigo Rocha Loures, e o empresário dono da JBS, Joesley Batista, também foram descartados de comparecer à comissão. Diversos requerimentos chegaram a ser apresentados. Nenhum aceito. De acordo com Rodrigo Pacheco, não há sustentação jurídica em uma eventual declaração de Janot à comissão, já que tudo que o procurador havia que sustentar já está na denúncia escrita apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) e no inquérito policial no qual ela foi baseada.
TEC./SONORA: Rodrigo Pacheco, deputado federal (PMDB-MG).
“A denúncia não tem que ser mais nem menos daquilo que está escrito e não admite qualquer tipo de incremento, sejam de fatos novos ou de explicação de motivos pelos quais houve o oferecimento da denúncia no âmbito da Comissão de Constituição e Justiça.”
LOC.: Baseado nas delações do empresário Joesley Batista e de outros executivos da JBS, Rodrigo Janot apresentou denúncia contra Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal. A Corte Suprema, então, encaminhou as denúncias para análise da Câmara. Temer é acusado de corrupção passiva. Por esse motivo, o procurador-geral pede a perda do seu mandato. A decisão de indeferir os requerimentos convocando Rodrigo Janot e políticos ligados a Michel Temer poderão ser contestadas pelos outros integrantes da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. A oposição já anunciou que irá entrar com um mandado de segurança para invalidar a decisão de Rodrigo Pacheco e manter os requerimentos de convocação.
Reportagem, Hédio Júnior

Deixe uma resposta